Quem anuncia vende mais!!!

Quem anuncia vende mais!!!
Quem anuncia vende mais!!!: entre em contado pelo E-mail : Blogagrestemix@gmail.com

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Confirmado: Maestro Forró é atração principal no palco do Carnaval de Zé Puluca em Bom Conselho

O homenageado do carnaval do Recife o ano passado, Maestro Forró é atração principal no Carnaval de Zé Puluca que acontecerá no dia 19 de fevereiro em Bom Conselho.
Divulgada na página de relacionamento do presidente do Carnaval de Zé Puluca, atração principal do carnaval de Bom Conselho.
Depois dos bonecos gigantes passarem por varias ruas da cidade, arrastando uma multidão de foliões, no palco principal que vai fazer a festa é o Maestro Forró.

Músico. Compositor. Arranjador.  Filho de José Amâncio do Coco, cantador de coco de roda.  Aos cinco anos passou a tocar zabumba e sanfona para acompanhar o pai. Começou a estudar música formalmente nos anos 1980, e e integrou a banda da escola de música Dom Vital.  Integrou o Centro de Criatividade Musical do Recife. Posteriormente, estudou trompete na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Não há, em todo o Largo da Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife, quem não saiba apontar o caminho para a casa do Maestro Forró. Aos 41 anos, o músico mudou de endereço uma única vez, para duplex construído na mesma rua onde nasceu e foi criado pelos pais, a professora aposentada Maria da Penha e o artista popular Zé Amâncio do Coco, dos quais é vizinho.

Homenageado do Carnaval do Recife do ano 2016, vivendo o que considera seu melhor momento, ele até gosta quando lhe perguntam se planeja deixar a comunidade ou mesmo o país: “Nunca cogitei.” Orgulhoso, reforça que vem, ao contrário, fortalecendo as raízes, com novo CD e episódios inéditos do programa Andante (estreia dele na televisão), previstos para serem lançados ainda neste semestre. Ambos, como todos os projetos concebidos por ele, nasceram no terraço de casa.

Foi na Bomba que Francisco Amâncio da Silva, nome registrado nos documentos, absorveu as primeiras influências musicais. “Desde a infância, vejo a comunidade ferver com ritmos distintos em harmonia. A periferia é assim. Enquanto um coral se apresenta na igreja, os toques da umbanda soam mais à frente, com ecos de ensaios do coco, dos caboclinhos e dos maracatus”, conta o instrumentista. Filho de mestre do coco e irmão de pianista erudito, aos cinco anos de idade ele já tocava zabumba. Na adolescência, teve as primeiras aulas de música na Escola de Referência em Ensino Médio Dom Vital, em Casa Amarela. É para essa fase que a memória aponta quando o Maestro Forró busca a gênese do que se tornou sua missão: eruditizar o popular e popularizar o erudito.




Nenhum comentário:

Postar um comentário