terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Saloá: a cara de uma cidade bombardeada " fiquei abismado com a situação que encontrei " diz visitante

Uma postagem no blog de Claudio Andre vem chamando atenção dos moradores de Saloá que já visualizaram a matéria devido o conteúdo falar do verdadeiro retrato da cidade. Isso prova a insatisfação de muitas pessoas que conhece nossa cidade através do parque.
Mais na realidade o que deveria ser um cartão postal é uma realidade nua e crua. E o pior que tem gente que ainda defende essa situação.

Veja a matéria......

Fazia tempo que tinha ido à cidade de Saloá. Resolvi ir dias atrás com a família para um parque aquático existente no município, algo que você não se encontra por aí e nem qualquer lugar, alavancando ainda mais o nome da cidade e incentivando o lazer e o turismo para os visitantes. 

Deveras que fiquei abismado com a situação que encontrei a cidade, mesmo num período natalino. Qual a impressão que tive?
A cara de uma cidade bombardeada. A cidade não tem sequer um portal decente, dando as boas vindas ao que estão chegando. A rodovia que da acesso a cidade, toda esburacada. Um verdadeiro abandono. Para trafegar por ela, somente em zig zag para não cair na buraqueira.

Ruas sem nenhum tipo de simbologia natalina, mato tomando de conta de alguma ruas que dão acesso a Cohab local, povo desanimado, arborização quase nenhuma, enfim, uma cidade carente de cuidados. 
Ao me deparar com aquelas cenas de abandono, liguei para o presidente do Poder Legislativo, que até então é blogueiro também e tem uma amizade direta comigo, e relatei o que estava visualizando. 

Ele atendeu, disse-me que estava viajando com a família e me respondeu o seguinte sorrindo:"mas, isso aí é porque você está na periferia, vá para o centro"... Ora, numa cidade tão pequena como Saloá, tudo é centro, não acha?E vi que não mudaria a realidade de uma rua para a outra.

Fiquei pensando... O quanto os municípios interioranos são carentes de gestores com visão futurista. O quanto os eleitores brasileiros erram em suas escolhas.
Mas, quem sabe um dia, nossa região, especialmente, tenha dias melhores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário